• Adriana Tanese Nogueira

A ARTE DE PAUSAR

Estamos num limiar, num espaço de transição entre tempos, certamente tempos de nossa vida. Essa questão do pausar, do intervalo, do silêncio entre as notas que forma melodia e ritmo. Refletindo sobre quem não quer parar, me veio em mente que são pessoas que não querem recuar, pausar.




Pausar poderia ser, entretanto, tão agradável se só soubermos viver o momento, sem nos projetarmos no futuro, sem nos deixarmos corroer por preocupações.


E cada pausa é céu no qual me perco, serenidade d’árvores ao claro da noite. (Salvatore Quasimodo)


Você dirá que há sérios problemas, possibilidades ou realidades acontecendo já, com essa pausa forçada, que uma pausa forçada não é “pausa”, e sim impedimento, prisão. Respondo que é o que é. E como você vive esse momento está inteiramente a teu cargo. Você tem escolha. Basta mudar a perspectiva. Não só questionar se tudo o que precisa ter realmente precisa ter, mas tentar pensar em ser – ser um pouco. Aproveitar a pausa para ser, um pouco. Aproveitar a pausa forçada para fazer dela escolha para pausar.

A palavra certa pode ser eficaz, mas nenhuma palavra será nunca tão eficaz como uma pausa no momento certo.

(Mark Twain)

Faça desse tempo inesperado o momento certo para uma pausa na falação de sua vida, naquela sequência implacável de atividades, preocupações, ansiedades, metas, corrida contra o tempo, exigências, auto-exigências, obrigações... etc. Aproveite para repensar. Se dê o direito de uma visão distanciada, de conjunto, observe como se sente, como é viver assim, como é sentir assim como se sente... É tudo mesmo necessário? Tudo o que faz é absolutamente necessário? Qual é o preço que paga por isso?

Reavaliar metas e caminhos é transformar a necessidade em riqueza. Fomos todos desacatados e contrariado. Tínhamos compromissos e agenda e aí um evento como um vírus, uma proteína adoidada, nos puxa o tapete. Podemos insistir em impor nossa vontade, a vontade soberana do ego arrogante que se autoafirma, podemos chorar e nos apavorar, podemos tentar dançar conforme a música. É mais útil e promissor.

Pausa, maestro. É tempo de reavaliação da vida. Reavaliar nos permite:


· Identificar o que pode ser mudado.

· Deixar de lado o que não é necessário.

· Otimizar tempo e tarefas.

· Descobrir novas vocações.

· Aprender, fazer cursos, nos atualizar e aprofundar (quando é que podemos fazer isso??).

· Encontrar novos nichos profissionais ou até mesmo o trabalho dos seus sonhos (conheço quem está vivendo isso).

· Elaborar novas formas de fazer o trabalho que já fazia.

· Sair um pouco do casulo de sua mente e olhar para os outros: esposa/o, filhos, parentes, amigos.

· Descobrir um hobby que o ajude a balancear as atividades ou desenvolver um hobby que há tempos queria abraçar: por que não aprende a tocar um instrumento?

· Arrumar sua casa que tem um excelente efeito psicológico: organizar, jogar fora, por em ordem ou encontrar uma nova ordem. Retomar o controle sobre o que o rodeia. Você sabe tudo o que está em sua casa? O que ainda serve e o que não serve? Elimine o inútil, alivie a carga.

· Exercite novas habilidades mentais, afetivas, emocionais e espirituais. Explore seu ser e suas muitas potencialidades.

A vida continua em múltiplas dimensões. O rio continua seguindo rumo ao mar. Identifique onde está e qual é sua próxima etapa.

Adriana Tanese Nogueira - Psicanalista, filósofa, life coach, terapeuta transpessoal, intérprete de sonhos, terapeuta Florais de Bach, autora, educadora perinatal, fundadora da ONG Amigas do Parto (www.asmigasdoparto.org), do AELLA - Instituto Internacional Ser&Saber Consciente (www.institutossc.com) e do ConsciousnessBoca.com em Boca Raton, FL-USA. +1-561-3055321

Photo byKyloonUnsplash

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo